Meus votos de Ano Novo: nada. - Rafael Baltresca

INSIGHTS

Meus votos de Ano Novo: nada.

by  Rafael Baltresca

Eu desejo para mim, no ano que vem, nada. E nada para você também.

É isso mesmo: nada. E não é no sentido figurado da palavra. É nada mesmo.

Não desejo muito trabalho, nem um saco cheio de presentes e nem alguém para amar. Afinal de contas, para que tanta coisa quando você não tem espaço para guardar? Calma, eu vou explicar.

Desejo uma mente vazia, com muito lugar para preencher. Como uma criança que, pelo excesso de nada, é obrigada a aprender.

Você já percebeu o quanto estamos engasgados, regurgitando informação inútil? E mesmo que você diga que é importante, chega uma hora que não dá para digerir tanta coisa entalada, acumulada.

Talvez, se você guardasse menos lixo na cachola, você daria mais espaço para o que realmente importa. É por isso que eu te desejo… nada.

Este ano foi marcado por depressão, suicídios, famílias destruídas, ascensão profissional ao invés de convívio social, animais humilhados e maltratados, redes sociais bombando e acabando com relações pessoais, vídeos humilhantes em busca de seguidores e, enquanto livrarias e editoras iam à falência, muitos jovens, por likes, pediam clemência. Numa sociedade moída, com a moral perdida… talvez a expansão da consciência seja a possível e única saída.

Expansão de consciência, algo que na escola não foi ensinado a mim, mas é urgente para que possamos ver além do muro chamado “sempre foi assim”. A prisão que nós mesmos construímos – ou terceirizamos e deixamos alguém fazer. Não tem outra saída; expandir a mente e repensar nossos próprios pensamentos seria uma ótima pedida.

Mas, se você parar para pensar no que acabamos de formular, verá que – de verdade – é impossível ter a mente expandida. É como se tivéssemos um balde de plástico lotado de lodo e ficássemos esperando o ano todo para ele aumentar de tamanho e, então, poder colocar um pouco de água límpida. Isso não vai acontecer. Paga para ver?

O único jeito é tombá-lo e vê-lo deixar o lixo de lado para permitir entrar mais do nada e, aí sim, poder enchê-lo com água filtrada.

A mesma coisa acontece com o seu balde em cima do pescoço. Enquanto você não o tombar e repensar suas crenças e ações, nada vai mudar.

Depois de ver tanta gente jogando bituca de cigarro para fora do carro, ou vasilhas e latinhas vazias, pais e mães deixando Iphones e IPads criarem seus filhos, comecei a entender que são tantas verdades deturpadas, socadas, prensadas, que não há espaço para aprender.

Desejo para o ano que vem um monte de nada e a porteira bem trancada por você. Porque mente vazia é oficina do diabo só se você deixá-lo escolher. Na verdade, a mente menos cheia pode ser a melhor forma de renascer.


Deixe seu comentário

  • Augusto Barretto

    Muito bom, Rafael! Verdades que devemos ouvir e reflexões que precisamos colocar em prática. Nada pra você também!

    • Rafael Baltresca

      Obrigado, meu amigo!! Abraços e muitos NADAS para nós.

  • Andreia Menezes Rodrigues

    Excelente texto poeticamente reflexivo, o nada igual meditar, para se reconectar cosigo mesmo ao esvaziar o superficial mental e adentrar na (consciência) totalidade interna…

    • Rafael Baltresca

      Pois é, Andreia… talvez aí esteja a grande peça para a felicidade. Um abraço!

Rafael Baltresca

Rafael Baltresca é palestrante, facilitador e hipnólogo corporativo. Atua desde 2004 como conferencista dentro e fora do Brasil.
Secured By miniOrange