INSIGHTS

Quem é você dentro da empresa?

by  Rafael Baltresca

Existem alguns personagens que parecem estar sempre presentes dentro das empresas: aquele estagiário cheio de energia, jovem e animado, sempre tentando se destacar e fazer parte do grupo, mas que acaba fazendo um monte de #@&*%# e gerando alguns estresses na equipe… ou aquele diretor mais amigável, um dos poucos com quem você pode contar e que aposta no seu trabalho (muito mais do que o seu gerente ou coordenador)… 

Se você não sabe qual o seu perfil profissional dentro da sua empresa e não tem o hábito de repensar o seu trabalho, pode estar correndo SÉRIOS riscos ou mesmo perdendo grandes oportunidades. E isso independe do cargo que você ocupa dentro da organização ou mesmo do porte da empresa.

Veja o que aconteceu com a Salesforce, concorrente direta da Microsoft e da Oracle, no Brasil: após uma festa de confraternização de final de ano, um funcionário da empresa, que apareceu fantasiado no evento como o “Negão do Whatsapp“, foi demitido pela matriz norte-americana. A polêmica principal, porém, se deu porque, junto com ele, foram demitidos o diretor comercial e até mesmo o presidente da multinacional.

 

 Decisão correta ou oportunidades perdidas?

Antes de voltarmos a falar dos perfis profissionais e para que entenda melhor os riscos que você pode estar correndo dentro da sua empresa, pensemos juntos sobre algumas questões e responda, pra você mesmo:

1. Na empresa em que você trabalha, a sua cultura tem sido respeitada?  Existe no Brasil uma intenção explícita de abarcar a diversidade cultural e agir com maior flexibilidade diante dos impasses e diferenças de pensamentos. Isso tem meio que a ver com o tal “jeitinho brasileiro” que todo mundo já conhece ou ouviu falar. 

Fantasiar-se fora do padrão e curtir uma festa com o pessoal da empresa pode ser algo absolutamente aceitável e normal para muitos brasileiros; porém, isso não se estende a toda população, muito menos a outros países. A cultura norte-americana, por exemplo, é muito mais marcada por um conservadorismo, uma coerência de ideias se comparada à nossa. 

Qual o limite, então, entre defender os próprios valores e aceitar os costumes alheios que diferem da nossa opinião? E na sua empresa, os seus costumes são represados, punidos ou recebidos pacificamente?
Acredite: dá pra ser melhor.

2. Se até o presidente de uma empresa pode ser demitido, será que existe estabilidade profissional? Além disso, pergunto também: será que existe alguma coisa 100% certa e segura em nossas vidas? As nossas relações, o dinheiro conquistado, a saúde que buscamos preservar… Eu sou da opinião de que NADA é para sempre.

O ex-presidente da Salesforce até conseguiu uma boa recolocação no mercado após a sua demissão (tornou-se vice-presidente na então concorrente Oracle), mas que segurança ele sente hoje no mundo profissional? Como lidar, então, com este sentimento de instabilidade e com um mundo onde nada é para sempre?

Bom, para não prolongar muito este item, deixarei aqui um link com as minhas reflexões sobre o assunto.
Clique aqui para saber mais.   

Certeza de quê

 

3. Você sabe aproveitar os momentos de crise para fazer o seu negócio brilhar ou toda crise é vista como um grande problema? A Salesforce perdeu uma grande oportunidade de usar isto a seu favor. Numa era em que um mínimo espaço na mídia custa uma fortuna e conquistar a atenção das pessoas é tão difícil – em meio a uma enxurrada de informações -, a equipe de marketing da Salesforce jogou fora uma oportunidade de fazer do limão uma limonada.

Soltar nas redes outra imagem – editada – bem-humorada, inteligente e que elevasse a sua marca, poderia ter levado a um posicionado da empresa como uma organização jovem, respeitosa e que valoriza o intelecto das pessoas – e não apenas a fantasia que elas usam nas festas de final de ano.
O marketing que conseguiram com esta atitude foi o de uma empresa autoritária, quadrada e que ainda usa a velha “gestão pelo medo”.

Qual é o seu posicionamento dentro da sua empresa?

E aí? Já conseguiu identificar qual é o seu papel, a sua imagem e a sua postura  dentro da sua organização? E se você fosse o “manda-chuva” da Salesforce, qual seria seu posicionamento?

Será que você é o funcionário legal, com ideias criativas, mas impulsivo e muitas vezes desatento às consequências? Ou será que é aquela voz que todo mundo quer calar para não ter que lidar com as inovações que você suscita? Pode ser que você seja o gerente na corda bamba (ou com a corda no pescoço), tendo que ponderar diante de várias e várias crises. Ou o presidente… que, mais cedo ou mais tarde, também poderá ser demitido.

Estamos sempre correndo riscos e lidando com custos invisíveis dentro de nossas empresas. Mas, para além da PREocupação, temos a PREPARAÇÃO, ou seja, podemos nos preparar para as ações e até mesmo mudarmos a nossa realidade

Clique aqui para conferir mais sobre essas ideias.

Rafael Baltresca

Rafael Baltresca é palestrante, facilitador e hipnólogo corporativo. Atua desde 2004 como conferencista dentro e fora do Brasil.
Secured By miniOrange