BalCast #13 - Ser líder - Rafael Baltresca

INSIGHTS

BalCast #13 – Ser líder

by  Rafael Baltresca

Tempo de leitura: 10 a 11min

Certa vez, eu estava fazendo uma palestra para uma empresa no Paraná e, logo após a apresentação, uma moça veio falar comigo: “Rafael, estou com uma dúvida e queria saber se você pode me ajudar…” Pensei: “Bom, vamos lá! Se eu puder, estou aqui.”

A dúvida dela era a seguinte: a moça, atualmente, é uma líder e encontra-se em um cargo de chefia. Lidera mais ou menos de 12 a 15 pessoas, dependendo do projeto, só que não se sente uma líder e não sabia se deveria abandonar a função ou continuar neste posto.

Quando a pessoa fala sobre abandono, eu já penso que ela não gosta do que faz, me vem aquela ideia de está fazendo isso pelo dinheiro e tudo o mais. A primeira pergunta que eu fiz a ela foi a seguinte: “Você gosta do que faz, mas não se sente bem como líder, ou você não gosta nem do seu trabalho nem do seu dia-a-dia?” A resposta dela me surpreendeu… Ela disse que ama o que faz, porém não se sente bem como líder. Estava até pensando em pedir demissão do cargo para voltar à função anterior. Isso tudo porque ela foi colocada neste posto, mas não se vê líder, as pessoas não a respeitam, quando estabelece prazos, nunca consegue cumpri-lo com menos do que uma ou duas semanas de atraso.

“As pessoas olham pra mim e se lembram ainda daquela menina que era a amiga, aquela menina que ajudava e não aquela menina que mandava, que pedia, que delegava. Então, eu não sei o que fazer, eu não sei dizer não, tudo o que elas me pedem eu faço e, às vezes, me vejo fazendo o que eu já fazia antes, só que muito mais porque eu faço pelos outros também. Eu paro e começo a fazer por eles. Eu não sei o que eu faço, queria saber o que você acha, se devo desistir ou não.”

Foi exatamente isso o que ela trouxe para mim e, o que eu respondi, vou tentar resumir aqui neste artigo. Muita gente pensa que ser líder, ser chefe, é simplesmente fazer a mesma coisa que você já fazia antes só que agora mandando outras pessoas fazerem também. Quando eu perguntei a ela como tinha sido colocada neste posto, a resposta foi a seguinte: “Surgiu a vaga de chefe, de líder, e eles pegaram a pessoa que tinha mais tempo de casa (no caso eu) e fui para lá.”

Quer dizer, ela foi colocada neste posto de líder simplesmente por tempo de casa! Tempo de casa não faz de ninguém um bom líder. Um bom líder não é feito pelo crachá de chefe, não é feito pelo tempo de casa, não é feito porque mandaram ele ser líder. O que eu disse a ela vai um pouco na linha do “ter novas habilidades”. Aprender algo diferente significa ser líder; não é fazer o que já se fazia antes e acumular mais funções. A liderança é um cargo novo! O líder tem que ter absolutamente outras habilidades que não possuía antes.

Fiz um resuminho sobre as características que eu penso que um líder deve ter baseado em meu estilo de liderança, como EU lidero a minha equipe e como eu já fui liderado por outros. Antes de apresentar isso, porém, o conselho que dei à moça foi simplesmente: vá até o seu chefe e explique isso, explicite “eu não sei ser líder; ensine-me.” E aprenda… Em minha opinião, essa moça tem que continuar a ser sim uma líder porque é uma nova habilidade a ser desenvolvida, são comportamentos diferentes, é uma chance que a vida está dando a ela e, às vezes, está dando também a você, para que desenvolva coisas diferentes… Na pior das hipóteses, daqui uns seis meses, você volta a fazer o que já fazia antes.

Isso, na verdade, é muito meu: nunca deixo de aproveitar as oportunidades que a vida me dá. Quando a vida também te der esta oportunidade de ser líder, seja humilde para dizer “eu não sei e quero aprender com quem sabe”.

Bom, estou colocando aqui algumas características que eu vejo como fundamentais para quem quer ser líder. Hoje de manhã, fiz uma pesquisa com minha equipe e perguntei a eles o que acham legal em minha liderança, o que acham que não é legal; depois escrevi um pouquinho, juntei com outras ideias e o resultado você confere abaixo. São as características de um bom líder na minha visão.

  • Um líder tem que entender que, quando ele tem uma equipe, está criando um robô. O que é criar um robô? Se nós fossemos criar um robô, iríamos querer o melhor óleo, o melhor alumínio, a melhor engrenagem, melhor visor… Iríamos pegar o melhor de tudo e juntar. Quem faz um robô, não o faz com duas cabeças, certo? É a mesma coisa na liderança: primeiro, temos que saber pegar o melhor de cada um; segundo, dividir muito bem as funções para que um não comece a interferir na função do outro. Isso porque somos humanos e quando um começa a fazer o que outro já faz, ocorre o conflito. Então, um bom líder é como um bom criador de robôs. Ou, se quiser pensar de outra forma, é aquele que vai fazer uma colcha de retalhos, só que com retalhos das melhores sedas ou panos ou pessoas.

Na analogia do robô ainda, o líder tem que entender que ele precisa criar algo único, algo que funcione como uma grande engrenagem, onde cada parafuso, cada peça se ajusta. Para isso, a primeira dica que eu dou para quem quer ser líder é saber delegar e saber o que é delegar. Delegar não é simplesmente pegar o que você não aguenta fazer e jogar nas costas dos outros, virando assim uma loucura de tarefas desgovernadas. Saber delegar é saber para quem vai cada coisa e o que cada um pode fazer. Dessa forma, quando surge algo novo, uma tarefa nova, você bate o olho nela e já tem que vir o nome de uma pessoa! Se isso acontece, você sabe delegar. É ter claro aquele pensamento do tipo “Opa, quem faz isso é minha administrativa; quem faz aquilo é meu comercial… é a minha comunicação… Hoje quem faz isso e aquilo…”

Então, saber delegar é olhar para uma tarefa e entender quem é a pessoa mais adequada para resolver isso. Não é simplesmente um “puts, estou cheio de coisas já; deixe-me jogar isso para alguém… quem faz pra mim isso aqui?” Isso não é delegar; é vomitar um monte de tarefas na cabeça de um monte de gente. É preciso entender quem são as melhores pessoas para cada atividade, o que cada uma delas faz e perceber inclusive quando a equipe já está saturada, precisando de uma pessoa a mais para fazer algo novo.

  • Saber ser líder é dizer sim a sugestões que a equipe traz. Quando você diz sim, é mais ou menos o que acontece em casa: o filho pergunta ao pai o que ele acha disso ou daquilo e só ouve como resposta não, não e não… Até chegar o momento em que este filho para de pedir sugestões. Com a equipe é a mesma coisa! Existe uma inteligência na equipe. O líder pode ser o maior líder de todos, mas ele não dá conta dessa inteligência do grupo. É uma inteligência diferente, composta pela vivência de cada um, o que cada um dos membros traz de casa, suas bagagens, etc. Por isso, o bom líder diz sim a sugestões novas, ele ajuda a equipe a se motivar, implementar mais coisas, a ter mais ideias.

O líder é aquele que diz sim e também diz não. Assim como o pai amoroso fala não para o filho dando limites, o líder tem que saber dizer não também. É fundamental apontar à equipe quando algo não ficou legal, quando esperava algo de um jeito e o que recebeu de resultado foi algo completamente diferente… Ele precisa colocar ordem na casa. Às vezes machuca, às vezes não é o que equipe precisa, mas o bom líder fala também “Pessoal, não! Hoje não podemos fazer isso, vamos ter que parar este processo, começar um novo.” É exatamente aí que está a grande arma da liderança: é dar os caminhos.

  • Ser líder é reconhecer, falar “muito obrigado”, olhar cada um nos olhos e dizer “o seu trabalho está muito legal; você está fazendo o que eu não esperava; está fazendo a mais; está sendo proativo…” Nós precisamos de reconhecimento! O ser humano precisa disso, de um carinho, precisa saber que o que ele fez foi legal. Não existe uma pessoa no mundo que não queira ser reconhecida, não queira um carinho, não queira ser lembrada. A gente quer porque a gente precisa disso! Se uma pessoa não tem o devido reconhecimento dentro da empresa em que trabalha, logo irá procurar em outro lugar. Muitos acham que o salário já é um reconhecimento, mas não é. Depois de um tempo, o salário torna-se uma commodity (é igual a todo mês; é normal). Reconhecer é mais do que isso: é o olho no olho, é um reconhecimento diferente do esperado, em um momento que a pessoa não espera.
  • Ser líder é ser humano também. Saber que as pessoas têm problemas, que elas precisam de atenção, saber que há dificuldades em casa, que a pessoa pode ficar doente, que o filho do seu liderado pode ficar doente… O líder enxerga as pessoas como gente e não como peças de um quebra-cabeça. É um robô humano, não feito de máquina. Então, o líder é humano também! Ele olha para as pessoas para pedir “desculpa”, dizer “não foi minha intenção e eu entendo você como gente”. Entenda se o seu subordinado, o seu liderado, quer fazer uma faculdade e não pode, se quer comprar algo e não tem condições… Ajude-o a conquistar seus sonhos! Assim, você estará sendo humano com ele, estará vendo essa pessoa como pessoa, como um coração que bate.
  • Ser líder é servir! Você não está neste posto para mandar, apontar ou apenas para dizer que sim ou que não. Você está para ajudar a criar, a fazer seus subordinados prosperarem, para ajudá-los a serem as melhores versões deles mesmos. Isso é o que um líder faz, antes de tudo: o líder serve!

Espero ter ajudado essa moça que veio bater papo comigo após a palestra e espero te ajudar também, um líder ou futuro líder, terminando com uma frase da qual eu gosto bastante:

“Liderança não é uma palavra, é uma ação.”

(Richard Cooley)


Deixe seu comentário

  • Luana Walker

    Uau… q experiência einh professor ??Amei vc é d+!! Abs #TMJ

Rafael Baltresca

Rafael Baltresca é palestrante, facilitador e hipnólogo corporativo. Atua desde 2004 como conferencista dentro e fora do Brasil.
Secured By miniOrange